segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Minha madrinha

De ti, minha madrinha, Eu nunca esquecerei,
De Pititinha tu me chamavas,
De querida te chamarei.
A ti, minha tia preferida,
Dei o meu verdadeiro amor.
Espero que esse amor
Seja um laço que perdure para sempre.
Estarei esperando pelo dia
Entre flores e lágrimas,
Em tempos de despedida
Te encontrar no Paraíso.

Anay Borges de Sousa - FF/UFG

2 comentários:

  1. Parabéns pela delicadeza das palavras. Belo!

    ResponderExcluir
  2. Anay, que inspiração! Que maravilha! Gostei muito...
    Nercy Lopes

    ResponderExcluir