quinta-feira, 20 de maio de 2010

Amorfo


Vejo-me agora com uma missão: a de escrever um texto de, no mínimo, quinze linhas sobre qualquer coisa. Mas quando parei para pensar, vi que escrever sobre qualquer coisa é bem mais complicado que escrever sobre um tema específico. Achei tão complicado que decidi escrever sobre isso.

Escrever sobre qualquer coisa implica em poder falar sobre tudo, ou nada; ou sobre tudo e nada, ao mesmo tempo. Poderia falar sobre minissaias, ou macarrão feito no micro-ondas. Coisas tão diferentes resumidas ao mesmo título, à mesma classificação. Essa indefinição, a falta de um molde, a falta de uma palavra de ordem diz respeito à liberdade de escolha. Sou livre para fazer o que eu bem entender, mas não sei o que fazer com tanta liberdade.

Toda essa dificuldade de lidar com a liberdade para escrever um texto dá uma excelente analogia com a vida. Temos liberdade de escolher entre pular de paraquedas, estudar para ser um engenheiro ou, até mesmo, fazer nada. Como você sabe, qual a escolha é a mais certa? São tantas possibilidades, que é comum ver pessoas aos seus 30 anos sem saber o que fazer com a vida que lhes foi dada. E não é incomum ver pessoas aos 60 na mesma situação.

Então, de onde vem tanta dificuldade em escolher? Talvez, pelo fato de que escolher uma ideia implique em rejeitar alguma outra. E para alguém que preza tanto a liberdade, rejeitar uma possibilidade é um pecado capital. Mas não precisa pensar muito para se perceber que o medo de fazer escolhas é um medo inútil, pois não fazer escolhas já é uma escolha em si.

Conclui-se de tudo isso que a vida é como um texto, sem um tema específico: damos a ela a forma e o objetivo que desejamos. E o medo de decidir sobre essa forma não justifica a indecisão. Esse medo provavelmente é autossabotagem. Viva, escolha, dê um tema para seus textos e para sua vida!

Gustavo Souto de Sá e Souza - EEEC/UFG

8 comentários:

  1. Grato!!
    Fico honrado com essa oportunidade! =)

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, Gustavo!Que criatividade!

    ResponderExcluir
  3. Viver é a arte de conciliar: tempo,atividades,vontades,enfim,tudo. Faer opções é algo necessário,mas aproveitar as melhores é resultado da inteligência. Parabéns pelo texto, muito legal.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Gustavo!
    O seu texto nos chama a refletir sobre o que devemos fazer da nossa vida, das nossas ideias*, do mundo.

    *(a propósito de IDEIA, a sua, do penúltimo parágrafo, está sem acento - mas isso tira o brilho do que você escreveu!

    Geraldo Pereira

    ResponderExcluir
  5. Gustavo,

    No comentário anterior que fiz sobre o seu texto, eu quis dizer que a palavra IDEIA estava com acento, mas disse SEM ACENTO. Deve ser a indecisão do que devemos fazer com as palavras!

    Geraldo Pereira

    ResponderExcluir
  6. Você, cabeça pensante, fica aí no seu cantinho, manso e pacífico, parecendo uma coruja: Não fala nada, mas o que pensa! Olha só, adorei o seu texto. A vida é assim mesmo, cheia de opções. Façamos as nossa escolhas, se não forem corretas, façamos outras. Em resumo, o importante é ser FELIZ!

    ResponderExcluir